domingo, agosto 31, 2008

Uma Noite


Um som de violino chega pela varanda
O calor é grande
O Céu cheio de estrelas brilha
Todos os abajures acesos
Deito no chão da varanda
Suspiro profundamente e o violino invade a minha volta
O ar quente de maresia percorre todo espaço
Belo, sensível, uma calmaria
Que me leva a desejos
Sonhos, visões e delírios
Um prazer imenso toma conta do meu corpo
Me sinto seduzida
Acarinhada por estas notas quentes de mormaço noturno
Me arrepio e todo som abraça minha pele aberta de sensações
Olho a lua
Suspiro novamente
E continuo a me deixar envolvida pelo carinho das cordas do violino.....

5 Comments:

Anonymous Nadja Voss said...

E eu...deito a teu lado

31 agosto, 2008  
Blogger Marcia said...

Violinos são incríveis mesmo,e eu adoro também os violoncelos.

01 setembro, 2008  
Anonymous Anônimo said...

o mais bonito do tempo é que ele nao tem espaco....e sobre o espaco...é que nele nao existe o tempo....e tudo é vida....

04 setembro, 2008  
Blogger Analuka said...

Deliciosa, a imagem do velho violino! (e penso em violinos vermelhos, verdes, azuis e violeta!...) Belo o poema, pleno de pulsação vital!... Desejar viver: a nascente de toda a música, de toda a arte... Abraços alados, amiga.

10 setembro, 2008  
Anonymous Ruiva Spectrum said...

Richard Gere, Alek e Ruiva também ouvem atentamente o violino...
Beijos do Clã da Montanha e do Hassan tb.

21 dezembro, 2008  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home